sexta-feira, 19 de novembro de 2010

meu grito inspirado no "cronicamente inviável"

são tantos esforços e dinheiro gastos para a criação de lixeiras de reciclagem em SP, que bonita é esta ação que todos se movem para jogar lixo no lixo certo.

são tantos esforços e dinheiro investidos em postos de inspeção veicular para medir a poluição dos veículos, aprovar, reprovar e multar carros que poluem a nossa bela cidade de SP, como é bonito.

são muitos os esforços para conscientizar a população de SP economizar água, luz...

mas até hoje eu nunca vi tanto esforço, tempo e dinheiro sair do governo de SP assim para conscientizar, construir, ajudar a tirar as pessoas das ruas e das drogas. Ou para tirar o povo do esgoto e da favela.

seria muito mais bonito se oferecessem clínicas gratuitas para a recuperação dos drogados das "cracolândias", que literalmente "sujam e enojam" a nossa cidade, a ver tantos postos de inspeção veicular construídos com profissionais capacitados para isso.

se estes investimentos são possíveis em tempo rápido, por que não pensar no homem primeiro? pensar no clima, na natureza é pensar no homem, mas o que vem primeiro?

preferia ver muita fumaça preta, muito lixo esparramado, desordem no trânsito, a ver o ser humano, nosso igual, pior que o lixo bonitinho separado em baixo das pontes de SP. E o que é pior, comendo lixo da lixeira não reciclável. Deitado no chão sujo dos óleos dos carros.

Parece até que estão mais preocupados com o óleo no chão que o carro solta, do que com o homem que dorme nele...

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

mutação

todos os sonhos planejados foram concebidos na mente e vividos na realidade
até hoje, não tem o que reclamar,até aqui tudo estava pensado
o que passou do ponto e os elementos surpresas são devidos da falta de precisão
ausência de detalhes que não se pode ter em um sonho
e depois de um vácuo construído nos dias sem planos
a escassez de desejos faz da realização um objeto na prateleira da estante
junto com os livros que ainda estão para ser lidos
pois agora são vários os caminhos possíveis e impossíveis,
escolhas de sossego, de montanha russa, de jogo da velha, de xadrez
os sonhos de agora com o futuro estão se desenhando
um pouco levianos, às vezes volúveis, podem se modificar
não permanecem iguais nem mesmo 24 horas do dia

Música da outra semana

Se você não suporta mais tanta realidade
Se tudo tanto faz, nada tem finalidade
...
Olhei pro amanhã e não gostei do que vi
Sonhos são como deuses:
Quando não se acredita neles, deixam de existir
...
E agora vou me perder nesse planeta conhecido
Intuir novos mistérios, descobrir outros sentidos
...
Meu corpo vai sobreviver mesmo estando ferido
E até na hora de morrer eu não vou me dar por vencido
...
Olhei pro amanhã e não gostei do que vi
Sonhos são como deuses
Quando não se acredita neles, deixam de existir

Trechos da música "Admito que perdi" de Paulinho Moska

terça-feira, 9 de novembro de 2010

novo desenho


depois de um longo tempo consegui compreender uma atitude mesma que minha memória transformou.
novo desenho da lembrança impressionante e impressionada pela possibilidade modificada pelo tempo.
nós a desenhamos novamente conforme nossa sanidade dentro do limite real.
soube o julgamento correto dos olhos que de longe podem condenar à todos entre si.
a exigência que esteja com sentidos vivos amanhã com os comprissos de ontem.
mas ninguém são reflete quão longo é o dia para se garantir estar vivo.
que palavras usar a convencer os seus, se não a ti pertence nada além deste instante?
quão leviana sou e fui por ter deixado morrer a vontade de um curso em tempo final, se não sou dona da vida.
sem justificativas para egoísmo que tem culpa já desculpadas.
todos contratos são irreais se não prevem a morte nas entrelinhas.
no contrário se encheram de apelos, promessas e a não espera da morte que afundou o continuar.
e o inconformismo era como se deixou morrer nos últimos três dias.
o morto não renasceu igual, e de outro lugar agora pode emitir as palavras de sons de outra vida.

pelo contrário

eu posso desistir
você pode fingir
alguém inventou que a persistência e a verdade são qualidades
mas elas podem também ser sinal de burrice
todos podemos voltar a atrás quantas vezes quisermos
e assim mesmo não estaremos desistindo
pelo contrário
continuamos lutando de alguma forma para nossos sonhos se realizarem
toda vez que você desistir de algo, está automaticamente pensando em começar outra coisa nova
as mentiras devem ser ditas para sustentarmos a nossa verdade
e o seu fingimento realça o sabor do verdadeiro prazer de persistir

domingo, 7 de novembro de 2010

diário de uma depressão

pés inchados sobre a almofada beGe dilatam as veias que recebem a vibração dos maus pensamentos.
ondas depressivas entram em rota de colisão no círculo vicioso do inconsciente que pAra de receber as ordens do eU maior.
reverberaM os questionamentos de Amor a sabedoria.

se saber traz o sofrer, por que a busca incessante da morada nas incerteZas?

vejo o trabalho como uma das ilusões dos homens onde brincam de diStrair da existência e que os afasta dos vícios.
fábula bOa que junto da instituição do casamento e filhos, fazem giRar as Rodas do consumo e as peças econômicas capitais, e o impedem de querer a morte, pois aí pensa que podem precisar de você.
falso é o desejo de fazer achar que você quer entrar no carro noVo, ter celUlar que entra na internEt, notebook que cabe na bolsa, a TV que se vê de óculos...

aI, mas qual é mesmo o motivo da existência?
sEr alguém, Sucesso onde for, caSar, viver de trabalhar, comprar, ter filhos para fazerem o mesmo e assim o círculo continua sem parar...

acho o motivo de Estar para aPrender aLgo com o bem que se faz a alguém e á todos amar é utópico, mas ideal.

então nÃo sei pra que tanto o que, aonde, como...se taNto faz...tá aprendendo de qualquer jeito em tudo que faz e em todo lugar tem esta oportunidade.

Não precisa nem tentar deixar alguma coisa para humanidade, só ame e faça caridade.

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

sob o véu

qual é a real diferença

entre um poeta da academia de letras que você conhece ou não

entre um cantor que canta no bar ou num grande salão

entre um pintor que tem sua obra no masp ou no porão

entre um ator de teatro ou de roldão?

será que as pessoas que atingiram maior excelência na arte são as que conhecemos na escola, nos livros ou na mídia?

quantos outros Mozarts, Picassos, Pavarottis, Shakespeares, Al Pacinos existem sob o véu da obscuridade da história?

será que os verdadeiros artistas sublimes são aqueles imortalizados pelo tempo?

ou será...

pois os "ou" são muitos...

aí me vem... por que será que mesmo sem ter chance alguma de serem revelados eles continuam suas obras?

por que mesmo sem ter recebido qualquer prêmio ou reconhecimento não deixam de fazer e criar, criar novas e belíssimas artes?

podem ter esperança de um dia serem imortalizados, mas às vezes fazem a escolha de não querer... não querer que sua arte termine nunca... no sentido de nunca acabá-la e no sentido de nunca ser conhecida por ninguém além de suas margens de sangue e amizade.

não sei... eu só sei que a estes eu devo muito.... parabéns! aplausos de pé.